segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

DIÁRIO DE UM CONCURSEIRO II- A MISSÃO (1)

Hoje li um livro fundamental para quem quer alcançar o objetivo de passar em um concurso público ou qualquer outra meta na vida que exija concentração e  atividades cerebrais. O nome do livro é: "TURBINE SEU CÉREBRO - as novas descobertas da neurociência para você alcançar o sucesso" de Nanci Azevedo Cavaco. Apesar de haver alguns elementos de auto-ajuda, estes não são piegas e o central no livro são os aspectos práticos e científicos para desenvolver mais e melhor seu sistema cognitivo.
Nele entendi e aprendi uma série de coisas a partir das quais organizarei meu plano de estudo para esta nova caminhada, cuja finalidade é passar na prova pública para conquistar o cargo de técnico administrativo do Tribunal Regional do Trabalho da 8º região, cargo almejado por muitos.
Diferentemente do caminho que trilhei para o INSS, que não foi dos piores, neste iniciarei fazendo um planejamento minucioso dos passos que darei até o dia da prova. São muitas as coisas que podem ajudar a organizar um estudo de forma mais eficaz, ao mesmo tempo ganhando tempo para estar junto da família, amigos e, é claro, ainda estudar para as provas do meu curso de Filosofia na Universidade Federal do Pará, coisa das mais complicadas...na próxima segunda já tem prova do professor Snake...Teoria do Conhecimento II (uma pequena dissertação sobre a Crítica da Razão Pura, de Kant)
Vou começar enumerando os pontos que achei mais interessantes no livro e capazes de ajudar a fazer do estudo uma tarefa mais agradével e com um aproveitamento muito maior. Muitos poderão dizer: mas você vai compartilhar com pretensos concorrentes ideias que talvez os ajudem a ter um resultado melhor que o seu? Uma das coisas que aprendi com este livro e com a vida é que mesmo que você não seja o melhor, você deve procurar fazer o melhor e ao falar sobre este tema estou ajudando-me a fixá-lo e ao mesmo tempo fazendo um bem que pode ser um diferencial aos que tiverem a paciência de ler o artigo. Isso me parece bom. E, além disso, que me desculpem os demais, mas serei o primeiro colocado.

continua...

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

sobre a verdade

falemos um pouco sobre a verdade....
o que significa?
para mim, a idealização da verdade completa seria uma visão tridimiensional em tempo real de um determinado acontecimento com transparências sonoras`e sensorialmente perceptíveis com as motivações, confusões, vontades e angústias e todos os demais elementos que fazem parte das ações humanas, além das formas e interferências das matérias e movimentos orgânicos naturais, e, para os que acreditam, sobrenaturais...
enfim...para qualquer pessoa que não possua os atributos que alguns dizem ter Deus, isso é impossível...portanto, o que realmente chamamos de verdade?
em primeiro lugar, precisamos entender o que importa ser verdade...
um olhar sobre a vida cotidiana, os cães supervisionando odores em postes, ou crianças maquinando brincadeiras ou frustrando-se pela ausência delas, pássaros fazendo ninhos enquanto lagartos observam esperando o momento do assassinato dos ovos. A quem interessa isso, além de observadores que dirão o quão bela, complexa e caótica é a realidade, pessoas obviamente com poucos afazeres....?!
o que chamamos de verdade, ou de sua antagonista, a mentira, é a disputa por versões, que invariavelmente fazem parte de algum interesse, aberto, semi aberto ou ocluso, ou mesmo excuso, de alguém ou alguns...os historiadores costumam tentar retratá-la, alguns, mais recentemente acham interessante a reconstituição de práticas e formas de ação cotidianas vãs, como os gostos de determinada época, ou a forma como as pessoas percebiam as pastas de dente. Ainda bem que existem imbecis, do contrário estas tarefas, que em algum momento de nossa caminhada inorgânica evolutiva pode ter alguma utilidade, não teriam seus produtores.
Mas o que realmente atrai a atenção de todos são os jogos de poder, em seus mais diversos âmbitos, e é neles onde as maiores injustiças são feitas e transformadas em bondades e o contrário não é mentira, é verdade, que por vezes é uma grande mentira...enfim...esta grande hipocrisia está baseada, em quase todos os momentos, em conveniências e armadilhas, falsetes que armamos para fazer nossas consciências passarem sem nada perceber...as verdadeiras verdades, em geral são pouco belas, não adulam o erro, a ganância...não adulam nada, nem a ninguém...por poucas vezes ela de fato aparece, em geral quando não serve para absolutamente nada, deixando um aviso aos insanos que tentam entendê-la: construam sua verdade à força, pois apesar de dizer que não, esta é a regra mestra de nossa sociedade...isso parece o texto de alguém desgostoso com a vida, mas não é...se não dá pra jogar o jogo do jeito certo, há sabores e entretenimento suficiente do outro...e torçamos para aquilo que nos espera além daqui, seja lá o que for, não leve isso em conta para sermos ou vivermos sei lá o que...enfim...assim inicio meu ano...vamos jogar...