sábado, 31 de agosto de 2013

Carta para Chiquinho



Na semana passada escrevi um artigo intitulado: HIPOCRISIA OU HIPÓCRATES, EIS A QUESTÃO. Recebi muitos acenos positivos e muitos negativos, destes negativos, alem de uma discussão com uma Tia minha, muito querida por sinal, recebi o link de um vídeo, tanto no perfil quanto na fanpage, de um amigo de longa data, Franciso Milosky. Boa praça, competitivo e muito inteligente, medico formado pela UNIRIO, se não me engano nefrologista.Achei o sujeito fraco e pedante, mas em respeito a nossa amizade, apos assistir ao vídeo, escrevo as linhas que seguem.
O autor do vídeo autointitula-se PROFESSOR DORIVAL NA POLITICA.
Vou proceder da seguinte forma, citarei, literalmente, o dito cujo e apos isso emitirei minha opinião. 
Vamos pensar no problema mais médicos e sobre o problema de saúde do Brasil.  O Governo alega que faltam médicos em algumas localidades do interior, e realmente faltam, mas o que o governo não faz e explicar as causas disso acontecer, divulgam altos salários fazendo os médicos parecerem insensíveis, pois estes, mesmo bem remunerados, não querem ir para o interior. Há razoes para os médicos não irem para o interior, mas não vou me aprofundar aqui sobre este tema, pois o vídeo vai ficar muito longo. (PROFESSOR DORIVAL)
Eu pararia logo nesse inicio de argumentação. Bom, quando uma pessoa grava um vídeo, com o principal objetivo de falar sobre o PROGRAMA MAIS MÉDICOS, afirmando que o governo não ataca as causas do problema, que estas seriam centrais na discussão e, segundos depois, afirma existirem causas, mas que não falara sobre estas para que o vídeo não fique enfadonho, esta pessoa ta mau intencionada, seja porque quer nos enganar, ou porque não respeita nossa faculdade cognitiva, ou ainda, mais provavelmente, as duas .
Ora bolas, o central na discussão são as razoes pelas quais existe o problema, real, da falta de profissionais de medicina no interior.
Vou citar apenas uma razão para o medico não ir para o interior: diferentemente da magistratura, que tem um plano de carreira (e uma carreira publica, de estado), em que vão para o interior mas haverá uma progressão (dando a entender que um dia voltarão para a cidade grande). Já os médicos são JOGADOS no interior (aqui parece que o interior e uma cova de leões), com contratos que muitas vezes não são pagos, porque os prefeitos roubam os recursos. (PROFESSOR DORIVAL)
Aqui ele diz que a única razão pela qual o medico não vai para o interior e que ele não poderá sair de la nunca mais, pois não existe plano de carreira. Estranho escutar falar em plano de carreira ou carreira de estado, vindo de alguém que preza tanto pelas politicas neoliberais do PSDB. E bom lembrarmos que o que sobrou da gana privatizadora do PSDB foram as Universidades Publicas (você deve se lembrar que em algumas delas, como a UFMG. as mensalidades ja estavam em processo de consolidação) a Petrobras, a Caixa e o BB. Mas concordo com ele, a medicina deveria ter espaço mais destacado entre as carreiras publicas.
Ele diz que precisa contextualizar o problema, e desanda a verborragizar chavões da direita, de que o modelo pensado por Lula estaria esgotado. Que há gargalos profundos na infra-estrutura, legislação e carga tributaria que diminuem nossa capacidade de operação. Alega que  economia não cresce por opção estratégica, baseando-o no consumo.
A economia não vai bem pois o modelo de consumo implantado por Dilma chegou ao seu limite, estagnando a economia e trazendo de volta a inflação,a saúde publica e ruim, todos sabem, e isso incomoda o PT porque com José Serra e FHC a saúde avançou. Ao invés de atacar a causa do problema prefere culpar os médicos. (PROFESSOR DORIVAL)


Bom, vamos por partes:
1- o modelo econômico do Lula, não difere da maioria dos países capitalistas, a diferença foi o rompimento, em parte, com o modelo neoliberal, que estava privatizando tudo, diminuindo a capacidade operativa do estado e marcando o passo do desenvolvimento brasileiro a partir das instruções e comandos do Fundo Monetário Internacional, preterindo as alianças regionais, como MERCOSUL, ou as bilaterais, menos com os EUA, cujos planos de implementação da ALCA e a venda da base de Alcântara eram os sonhos do patife FHC e sua turma, incluídos ai José Serra, Aécio Neves, Sérgio Mota, Paulo Renato, Antônio Carlos Magalhães e turminha limitada.
2- O que ficou latente no Governo Lula foram duas prioridades: em primeiro lugar, tirar da pobreza o máximo de famílias brasileiras, incluindo-as no mercado de trabalho, e, por conseguinte, de consumo, alem do valor agregado ao poder aquisitivo destas, advindos das politicas compensatórias, como o Bolsa Família. algumas dezenas de milhões de pessoas passaram a viver melhor e movimentar a economia...em segundo lugar ter uma politica internacional altiva, capaz de reconhecer nosso melhores atributos e utiliza-los de forma soberana, conquistando a liderança no processo de integração latino americana e articulando-se com os demais países em franco desenvolvimento, como Rússia, China, Índia e Africa do Sul (BRICS), alem de acordos importantes com a Africa e Europa, aquecendo a economia e elevando a auto estima do brasileiro. Pelo menos funcionou comigo.
3- A infra estrutura medíocre existente e uma realidade. Lula não priorizou o assunto, da forma como este merece. Mas, do segundo mandato para o fim colocou uma gerente boa de briga chamada Dilma Roussef para coordenar um programa chamado Plano de Aceleração do Crescimento, que tornou-se a prioridade de seu fim de mandato e a atual prioridade do governo da gaucha-mineira. São inúmeras as iniciativas em franca execução, que demonstram a coerência entre discurso e pratica. Exemplos disso são a ferrovia norte-sul, a construção das eclusas de Tucuruí ou mesmo as reformas e ampliações dos aeroportos.
4- A segunda prioridade do Governo Dilma, a educação, com o aumento exponencial do das vagas nas universidades publicas, aumento das vagas do PROUNI e a implementação do PRONATEC. Alem disso, há o comprometimento pessoal da presidenta para que 50% dos recurso advindos dos royalties do pre-sal, venham a ser investidos na educação. Esta me parece a medida mais importante para que nosso processo de desenvolvimento siga seu curso, garantindo mão de obra qualificada para novos empreendimentos e uma população cada vez mais capaz de escolher os melhores caminhos em busca da felicidade.
5- Ele tem razão quando diz que José Serra fez uma boa gestão no Ministério da Saúde, claro, sem levarmos em conta os escândalos de corrupção, como no caso das ambulâncias. Mas não houve recuo, pelo contrario. Os sistemas de saúde preventiva avançaram bastante, alem dos investimentos em saneamento básico, que tem consequências diretas na vida das pessoas, mas não sou especialista na área para comparar.
Bom, no final, já sem nexo entre argumentos soltos, tendo como único conectivo uma ira direcionada contra coisas que partam do que se entende por esquerda, ele inicia uma discussão sobre os cortes na saúde, que seriam a causa do caos no SUS. Ora bolas, mais uma vez. Vale lembrar que a CPMF, criada no governo FH, que destinava mais de 10 bi-ano para a saúde, foi cortada, por pressão da mídia e dos tucano-demistas, com o objetivo de proteger as sonegações, e , principalmente, tentar diminuir o exito do Governo Lula . Fala em cortes, mas não cita sua causa, ou seu contexto. Nem eu sei quais são, e confesso que não pesquisei para a produção deste corrente texto. Mas, quer saber, eu confio na turma que esta a frente do pais hoje, e sei que, mesmo com erros, estão tentando fazer a coisa certa.
Termino esta tentativa de dialogo com aquele maldito direitista, apos as medicas em Fortaleza e em outros locais receberem os cubanos com vaias e gritos de ódio. Uma das cenas mais deploráveis de nossa historia, na minha opinião, principalmente se levarmos em conta que a motivação dos quem são contra a vinda de médicos de outros países. A famosa entica medica, neste caso saiu pela culatra pois, se a hipótese da Dilma querer prejudicar a classe medica estiver certa, ela precisou fazer pouco. Os próprios médicos e seus órgãos representativos fizeram por onde conquistar o papel de antagonista, com louvor.
Ao mesmo tempo, ontem, vi uma serie de postagens de medicas e médicos saudando os colegas de profissão estrangeiros e pedindo desculpas pelos atos da turminha inteligente e bacana responsáveis pela gracinha na recepção.
Enfim, meu caro amigo Chico, não consegui absorver uma unica razão logica para impedir que o interior do Brasil tenha a presença de médicos, mesmo que sabendo ser um solução paliativa e carente de infra-estrutura. Mas cria-se uma avenida para que essas populações, em geral sofridas e carentes, possam, a partir dessa conquista, aumentar seu patrimônio publico, criando mais e melhores condições para a sofisticação e humanização de nosso sistema único de saúde.
Desculpa a demora...to estudando para uma prova...espero que esteja tudo bem...abs…
Alan Frick

PS: os vários erros de acentuação, principalmente os agudos, são fruto de uma desconfiguração no teclado do notebook...
PS2: aqui vai o link do gênio de Feira de Santana: https://www.facebook.com/photo.php?v=224500904368356

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Fora Zenaldo Coutinho

o jeito PSDB de governar de Zenaldo Coutinho ta ficando famoso...5 minutos de reportagem no Jornal Hoje...tenho a impressão que, diante do absurdo das imagens e da cara de pau do Zena, vai direto pro jornal nacional....cenas dos dois hospitais de emergencia o da 14 e do Guama (quem mora em Belem e regiao conhece) com cenas que devem fazer, ainda mais fortes, as vozes das ruas...nem a passagem de onibus, que boa parte dos prefeitos de capitais reconsideraram, este fez...arrogante, com um sorriso absolutamente cretino, sempre tem respostas mansas para os jornalistas...mas todos que conhecem o poder no Para sabem bem a forma truculenta e elitista, deste ex-militante juvenil pro-ditadura militar...com todo o respeito, que este não merece, Belem não merece isso...acho que ta pintando um clima de Fora Zenaldo...bora soprar... 

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Hipócritas ou Hipocrates, eis a questão

com todo o respeito aos médicos brasileiros, mas falemos a verdade.
1-            quando estamos na escola, principalmente, quando perto do período de prestar o vestibular, as famílias sonham, em geral, que você entre para a faculdade de medicina, engenharia, odontologia. O resto fica em segundo plano e, os cursos que licenciarão professores são consideradas a praga da mosca do coco do cavalo do bandido.
2-          Os que conseguem passar para este curso (medicina), em geral viveram muitos sacrifícios, num período da vida em que a maioria das pessoas prefere a diversão ao estudo. O êxito, em regra, e visto como uma espécie de inicio de aposentadoria.
3-            A maioria sonha em ter um consultório, talvez dar aulas, mas, principalmente, ter uma vida confortável, perto da família. Estas, em geral, estão nas capitais e cidades grandes, onde existe um sistema de ensino capaz instrumentalizar os estudantes para sonharem com o juramento Hipocrates.
4-            Nada contra esses sonhos, mais justos impossível. Mas no momento em que o Governo Federal, pela primeira vez na historia do Brasil, tenta iniciar a resolução de um problema nevrálgico de nosso estado lançando o programa MAIS MEDICOS, com a previsão da vinda de profissionais de outros países para suprir a falta destes no interior do estado, a classe medica fica mais perto da hipocrisia que de Hipocrates, quando diz que não se instala no interior por culpa do SUS. Isso esta muito longe da verdade e a razão de não fazerem e porque consideram isso pouco confortável, porque podem ganhar o mesmo ou um pouco menos morando nos grandes centros e usar o interior como veraneio, e ponto. Todos sabem disso, pelo menos todos os que sabem como funcionam as faculdades de medicina, ou ainda, as famílias de classe media e alta, de onde, em geral, saem estes médicos.
5-           O Governo acertou na mosca quando fez um edital antes de chamar os estrangeiros. Aqui no Para, por exemplo, na Ilha do Marajó, a localidade com o pior IDH do Brasil, houve a inscrição de apenas um medico no edital, já Marituba, que fica colada em Belém, foram cinco.
6-            E agora, o que farão os hipócritas de plantão, pois, por Hipocrates, estes deveriam defender a vida acima de todas as coisas, principalmente de suas vaidades.

Se ninguém quer ir pro interior, que deixem vir os estrangeiros...enfim...



sábado, 3 de agosto de 2013

Sociedade dos Poetas Mortos, uma sinopse critica

A Historia desenrola-se numa tradicional escola estadunidense chamada Welton Academy, dona de metodos ortodoxos de ensino e regras rigidas de conduta. Seus estudantes, todos do sexo masculino, sao filhos de familias proeminentes do Leste Americano. As expectativas de todos aqui eram as maiores possiveis, da escola, dos estudantes, das familias, amigos, de que a maioria ingressaria nas principais universidades, como Harvard ou Yale.
Neste ano, em 1959, um novo professor assume a cadeira de literatura Inglesa. Jonh Keating, ex-aluno da mesma escola, desde o primeiro momento mostra sua predileção por formas bem diferentes de abordar o conteudo programatico previsto na ementa apresentada pela escola, ou mesmo a perspectiva com a qual estes enxergavam e viviam as proprias vidas.
Esta forma ousada de mostrar os caminhos do conhecimento, discuti-los com os estudantes, ao inves de joga-los, acende uma luz de esperança nos olhos de alguns jovens que, desde seus      primeiros anos em Welton, foram treinados a obedecer e encher seus copos vazios de conhecimento, para quando alcançassem a maioridade saissem das redeas obtusas e falso-moralistas das familias para a republica hipocrita da normalidade adulta, claro, a bem sucedida, a capitalista.
Estes jovens, pesquisando a vida de Keating em seu anuario, resolvem perguntar a este o que significava uma tal ^SOCIEDADE DOS POETAS MORTOS^. O professor, empolgado com as lembranças conta-lhes, vivamente, que eram um grupo de estudantes que adoravam poesia e a exerciam plenamente. Seus membros reuniam-se numa gruta, conhecida como Caverna India e la pensavam e falavam livremente.
Neil *Sean Leonard- especie de lider espiritual do grupo, reprimido por seu pai, que o forçava a seguir um caminho pre-traçado para o exito, no caso, o da medicina.
Todd *Ethan Hawk- novo na escola, tinha muito medo da reprovaçao, entao buscava nao errar, ficar na sua e passar despercebido. Queria cumprir o protocolo e pronto. Liberta sua consciencia quando Keating o
força  a declamar em publico o que sentia, quando surpreende a todos com sua paixao e complexidade.
Charlie * - filho de familia muito rica, Charlie e o que menos reprime seu comportamento, encontrando um apoio para extravasar a forma real com que gostaria de lidar com a vida.
Knox *Josh Charles- exitante, com muito medo da rejeiçao de seu objeto de desejo, uma garota da escola publica da cidade. Encontra nas palavras de Keating e nos encontros dos poetas mortos,
a coragem para executar sua vontade, que e tentar conquista-la.
           E, a partir da iniciativa destes quatro amigos, a trama se desenvolve de forma envolvente, trazendo perguntas relevantes sobre as prioridades tao naturalizadas de nossa sociedade, dilemas daquela epoca, que tem sua grande atualidade. Uma excelente atuação de Robin Willians, ator de alto nivel, que teve nesse filme o apice de sua heterogenea carreira. 


obs- meu teclado esta desconfigurado...

Alan Fick

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Crítica do Filme Faroeste Caboclo

Neste primeiro dia de verão paraense, cadenciado pelo vistoso sol, assisti, meio que sem querer, a Faroeste Caboclo. A ideia era assistir o filme "Giovani Improtta", com José Wilker, mas o destino e a coordenação da Moviecom não quiseram...que bom, ou talvez tivesse subestimado o título que usa como inspiração a letra da música do lendário grupo de rock brasileiro, Legião Urbana.
Com um início que fala muito mais e muito menos do que a música, temos aqui um verdadeiro herói brasileiro, João de Santo Cristo, mais do que conhecido pelas gerações que tiveram suas juventudes vividas plenamente do fim da década de 80 até o início dos anos 2000. Se o filme inventa e desinventa a letra, a imagem que eu sempre construí de João era muito próxima da presente na interpretação, impecável por sinal, de Fabrício Boliveira. Ele encarna a obstinação embebida de uma ética própria, que se destaca na canção, na minha opiniião. Um homem humilde, mas de férrea vontade, combinada com uma personalidade ousada, forte e frágil.
Já Maria Lúcia, torna-se uma heroína, e não "aquela menina falsata a quem jurei o meu amor", maduramente intepretada por ísis Valverde. A doçura que parece ter a protagonista, se impõe na trama sem diálogos forçados,de outra forma, o filme flui entre cenas de humor, drama, amor e ação.
A a música era muito mais dramática, mas quem quer saber de tristeza?? Com um final shakespereano, ao mehor estilo Romeu e Julieta, o diretor

 marca sua carreira com uma obra prima do amor. Melhor assim, as histórias de amor verdadeiro são mais bonitas...e é exatamente isso que Faroeste Caboclo é, uma bela história de amor.
O perturbado e afetado Jeremias (Felipe Abib), um maldito vilão degenerado com seu parceiro corrupto, o policial civil fascínora, interpretado com excelência por Antônio Calloni, dão um clima de aventura instigante. É o primeiro filme, depois de Cidade de Deus e Tropa de Elite, que consegue estabelecer esta mística, sem aqueles tiroteios toscos e lutas visivelmente falsas.
A direção, a fotografia e a produção do filme são de primeríssima qualidade. Mas a adaptação da música para roteiro, corajosa, tem o maior mérito deste filme histórico.


domingo, 26 de maio de 2013

terça-feira, 7 de maio de 2013

A tara do PSB

Não consigo entender essa tara do PSB em ter uma chapa oposicionista à Dilma, presidente de um governo que ajudou a eleger seus governadores, parlamentares e prefeitos e do qual participa ativamente, há muito tempo...já passou do tempo de pular do barco sem parecer puro oportunismo...Não é só porque alguém pode fazer algo que deve fazê-lo...não esqueçamos que as forças de direita ainda circundam, como lobos, à espreita da fraqueza do campo de cá...lobos estes que tem a forte iluminação da mídia entreguista, sempre atenta aos vacilos, criando-os quando estes escassam, buscando a derrocada do projeto popular que elegeu Lula, Dilma e do qual faz parte, legitimamente, o PSB...enfim...ainda não tá na hora de sentar na janela...e tá muito apertado pra empurrar...pode acabar caindo do coletivo...
Quero deixar claro que gosto do PSB, o considero um partido sério e comprometido com uma visão progressista e avançada de sociedade...e mais, compreendo que está passando o tempo de hegemonia do PT na esquerda brasileira, pois perderam o tempero interno e apoio externo para sustentar esta posição...mas ainda não acabou...e não é momento de balançar a árvore...por mais que pareça meio bamba...
ainda é tempo de união...de aumentar o foco no que nos une...pois o que nos desune não é suficientemente forte para arriscarmos perder o leme da embarcação...essa imensa embarcação chamada Brasil, que lidera várias outras, neste e em outros continentes...
enfim...

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Pena ou felicidade pela situação do Remo??? Eis a questão...

boa tarde a todos e todas...passei todo o final de semana sem acesso à internet...por conta disso a ausência de postagens, já que a rede da TIM e nada é a mesma coisa...ou melhor, nada é ainda mais agradável pois não cria falsas expectativas...
de qualquer forma estou de volta...para a alegria de alguns e desespero dos malditos hipócritas de plantão...
e aliás, por falar em hipócritas de plantão, fiquei muito triste pelos torcedores do Remo, já que mais um ano sem calendário oficial de jogogs deve ser bastante horrível, apesar de já estarem acostumados...imagina só, ficariam tão felizes com uma já vergonhosa participação na série D do brasileirão...vergonhosa para o remo, que tem uma das maiores e fiéis torcidas de todo o brasil, e que a única a egria tem sido derrotar o paysandú...mas confesso que, pela péssima qualidade dos malditos dirigentes deste clube, nada mais justo que isso...resta à imensa torcida azulina aguardar, ansiosamente, pelos importantes duleos do segundo semestre, contra selecionados de altíssima qualidade, como Quatipurú, ou ainda o já tradicional jogo em Ponta de Pedras...
OBS: eu não entendo por que a sede ainda não foi invadida e aqueles malditos beneméritos defenestrados...

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Carta aberta a Professora Doutora Ana Tancred

Cara professora, soube que numa reunião de diretores de Institutos da Universidade Federal do Pará, a senhora citou-me, nominalmente, afirmando, entre outras coisas, que eu seria um ESTUDANTE PROFISSIONAL. Tudo isso seria suscitado pelo fato de eu, em conjunto com outras pessoas, ter ajudado a chapa PROPOSIÇÃO, que foi a chapa que ousou desafiar a senhora e seu grupo de amigos e amigas iluminadas, detentores de toda a imunidade ética, enfim, verdadeiras autarquias fundacionais. A verdade é que o problema central são as eleições para a Reitoria de nossa universidade e a sua preocupação, e a de parte da faculdade de Educação física, com o fato de termos rompido com a ordem estabelecida na Cátedra e apresentado um projeto para profissionalizar e democratizar a execução dos JOGOS INTERNOS DA UFPA.
Porém, antes de qualquer argumentação neste sentido, quero falar um pouco sobre o que o termo”ESTUDANTE PROFISSIONAL”:
Este termo data do período da Guerra Fria, e, aqui no Brasil, principalmente da Ditadura Militar. Ele era utilizado para desqualificar os (as) estudantes que optavam por militar em um partido ou facção política (normalmente de esquerda e/ou comunista) e que agiam dentro da universidade. É um termo pejorativo, utilizado basicamente pela direita, pelo senso comum ou Repressão. Este carrega um sentido de oportunismo, de mistério sombrio, de desfaçatez, de manipulação, enfim, nada que seja bom constar na biografia de alguém que com ela se preocupe. Se a senhora não foi um destes chamados “ESTUDANTES PROFISSIONAIS”, provavelmente foi apoiadora da causa de muitos, ou então mudou muito sua trajetória, dado que anda com pessoas que têm raízes no movimento sindical e estudantil da UFPA.
Na verdade, não foi a primeira vez que escutei alguém me chamar desta forma, mas, sem sombra de dúvida, mas foi a que mais teve sentido. E este explicarei nas linhas seguintes:
Fiz parte, com muito orgulho, deste conjunto de pessoas que você (des)qualificou como “ESTUDANTES PROFISSIONAIS”. Foi durante o fim da década de 90, na época do FORA FHC, no período em que resistíamos aos desmandos do neoliberalismo no país, em franca ascenção, e que mirava a morte do sistema público de ensino universitário brasileiro. Fui diretor da União Estadual dos Estudantes do Rio de Janeiro, responsável pelo acompanhamento da Região Serrana do Rio de Janeiro, onde morava e estudava. Em 2001 passei no vestibular para o curso de História, na Universidade Federal Fluminense, onde fui eleito conselheiro departamental e universitário, assumindo a Diretoria da UEE-RJ responsável pela área de Niterói e São Gonçalo. Logo depois, em 2002, pouco antes da histórica vitória das forças populares, elegendo Lula, fui eleito presidente da UEE-RJ. Em 2003 assumo a vice presidência da UNE no Rio de Janeiro. Só fui receber qualquer importância, a título de ajuda de custo neste último período, cerca de 300 reais por mês (2003 e 2004). Não tive bolsas, de nenhum tipo.
Bom, durante esta etapa de minha vida eu poderia ser caracterizado, sem medo de errar, desta forma que a senhora quis dizer, quis significar. Era destes agitadores, que enfrentavam a privatização e perturbavam o falecido Paulo Renato e Fernando Henrique Cardoso, sendo detido e preso algumas dezenas de vezes, todas por razão de manifestações políticas e congêneres. Que tempo bom foi esse, vitórias e derrotas que temperaram a minha militância e de toda uma geração. Para mim, esse saudoso momento terminou, pelo menos para mim, em 2004, quando do fim de meu mandato à frente da entidade. Terminaram na universidade, visto que no período era dirigente estadual do Partido Comunista do Brasil no Rio de Janeiro e da União da Juventude Socialista- RJ.
E se haviam terminado naquele período, neste atual nem se fala. Realmente estudo na UFPA, mais especificamente na Faculdade de Filosofia, matrícula orgulhosamente conquistada numa prova de transferência, mais conhecida como Vestibulinho. Tive a honra de poder matricular-me nesta universidade, que, além de linda, é pujante espaço de desenvolvimento dos movimentos sociais, campo de ação do qual nunca me afastei. Estranho seria se, um militante com mais de 15 anos de vida nas lutas, entrasse para a UFPA e não participasse, ao menos de leve, da disputa cotidiana de idéias e rumos que acontece.
Parece que um dos episódios nos quais a senhora se baseia para chamar-me de ESTUDANTE PROFISSIONAL foi o processo eleitoral do ICED, quando de sua vitória sobre meu amigo e ex-colega de partido, professor Ronaldo Lima. Neste período eu já fazia parte da direção da base do PcdoB na UFPA e, na época, decidimos que ajudaríamos esta chapa. Da mesma forma, todos os militantes do PSOL da universidade giraram suas atenções para lá, a senhora Vera Jacó (Gerdau) mobilizou a família para garantir facilidades jurídicas, enfim, houve uma disputa política dentro da universidade, sabida por todos. Quando fica claro este fato, sua afirmação de que eu seria ESTUDANTE PROFISSIONAL, por conta desta empreitada em que perdemos uma batalha, soa como sonsa ingenuidade ou má fé, ou provavelmente as duas coisa combinadas. Do contrário devo agradecer-lhe, pois estaria elogiando-me, comparando-me com aqueles com quem anda, pois não há diferença entre as motivações destes e as minhas, quando o ponto de vista é a forma utilizada, que é o mérito em questão. Acredito que considera seus pares como pessoas detentoras de algum respeito, ou então, enfim, sua sanidade, ou caráter, estariam comprometidos, ou mesmo quem sabe os dois. A senhora deve saber em qual das duas opções se enquadra (pode também fazer mais combinações, caso achar necessário)
De qualquer forma, será um elogio, visto que José Henrique Vilhena (interventor de FHC na UFRJ, entre outras figuras tratantes, já referiram-se desta forma a meu respeito anteriormente. É uma honra ser odiado pelos inimigos ou mesmo amado pelos amigos, ruim é não ser nada.

 
Alan Frick- estudante de filosofia e conselheiro titular do Conselho de Ensino e Pesquisa da UFPA
 

terça-feira, 2 de abril de 2013

Filhos, Espiritismo e Futebol

vivendo e aprendendo...
sou espírita kardecista...portanto concordo com a ideia de que estamos aqui para aprender e evoluir...
hoje surpreendi meu filhote de 7 anos, Vítor Frick, jogando FIFA SOCCER (VERSÃO 13, para XBOX 360)...a partida era entre Fluminense X Flamengo...estava 2 X 0 para o maldito tricolor quando perguntei:
- filhote, vc está perdendo para o Fluminense?
- não pai...estou jogando ...com o Fluminense...é bem melhor que o Flamengo...
já antevendo a resposta, ousei tolamente e perguntei:
- Mas você não torce para o Flamengo?
- Pai...gosto do Flamengo e do Fluminense...
mais tolamente ainda tentei argumentar:
- mas filhote...não pode torcer para os dois...é preciso escolher apenas um...
- Pai...isso não faz sentido...por que eu não posso gostar dos dois?
Sem nenhum argumento real ou que não fosse uma falha grave de caráter, resignei-me...
Duas conclusões possíveis:
1- ele realmente torce para os dois...
2- ele quer me agradar e não quis dizer que torce para o Fluminense...
No primeiro caso meu filho evolui espiritualmente bem antes de mim e ignora essas idiotas, mas deliciosas, disputas mundanas...
No segundo caso eu terei de evoluir espiritualmente e levá-lo aos jogos daqueles que exaltam o pó de arroz e laranjeiras...
Enfim...

segunda-feira, 4 de março de 2013

ideias sobre o futuro político do Pará

fonte privilegiada do PMDB-PA me garantiu que a agremiação está coladinha ao PT com vistas à eleição para o Governo do Estado do Pará...o nome para o Palácio dos despachos não seria ninguém menos que Alexandre Padilha, mocorongo (Santareno) atual ministro da saúde do Governo Federal...o vice seria Hélder Barbalho, filho do líder senatorial Jader Barbalho, jóia rara do panteão de políticos paraense...s...enfim, este quadro complica bastante a vida do governador Simão Jatene, já que alguns partidos da base do Governo federal, como o PSD pulariam fora do ninho tucano desde já...bom...isso sugere agumas coisas: 1- o jogo de 2014 não admite principiantes...Dilma e Lula virão pra rachar côco, ou melhor, depenar tucanos; 2- o PSDB do Pará precisa parar de se isolar politicamente se quiser ter chances pois, chapa puro sangue, na minha opinião, está fadada ao fracasso; 3- quem não aguenta bebe leite...morno
 
fonte segura do Governo do estado do Pará alerta estes movimentos, feitos pelo PMDB, no sentido de construir localmente a mesma aliança que sustenta nacionalmente o Governo Dilma, não será tolerado pelos caciques do PSDB...portanto, cuidem-se aqueles que agem como se fossem a "bala que matou Kennedy", alerta a mesma fonte, pois, pelo menos nos próximos 4 anos (visto que as principais cidades do estado estão sob a batuta dos bicudos) quem manda nesta casa  (haja eufemismo!)somos nós.
 


mas há ainda uma segunda visão, de outra fonte tucana que aponta grandes possibilidades do próprio Governador Simão Jatene procurar outro ninho para pousar...segundo esta fonte, já que o governador não vê uma mudança de rumo político diante das principais forças políticas no âmbito nacional (não precisa ser um gênio pra chegar a esta conclusão), seria interessante instalar-se, ele e sua base, em outra agremiação...
Neste caso o PSD seria uma possibilidade concreta já que está em mãos (ou garras), leoninas...enfim...de qualquer forma, parece que a política eleitoral está cada vez mais pragmática e menos programática...enquanto forem mantidas estas regras, nada tende a mudar e será, cada vez mais mais difícil enxergar diferenças qualitativas entre as ideias de cada partido, fortalecendo uma visão financeirizada, na minha opinião pouco sofisticada e menos democrática, do panteão partidário e político brasileiro...

uma análise sobre o PT no Pará


nos últimos dois dias venho falando sobre a possibilidade do PT ter candidatura própria aqui no estado (Pará), em aliança prioritária com o PMDB, mas com um nome de fora...

por que razão, um partido que dirige 70% dos sindicatos relevantes, que possui a maior bancada isoladana ALEPA( 8 deputados estaduais, mesmo número do PMDB), administra 24 municípios, tem 4 deputados federais...além, é claro, de dirigir a maior parte dos postos da administração federal, precisa trazer um nome de fora para concorrer ao governo estadual?

Resposta para tema tão complexo dificilmente é única...precisamos avaliar todas as alternativas, ou pelo menos as que conheço...e, mais uma vez, quero deixar todos os leitores e leitoras com bastante tranquilidade para fazer críticas ou mesmo subtrair e adicionar pontos ou partes para enriquecer o texto...claro que meu arbítrio definirá quem entra e ou não no texto final...


1- Diferentemente da maior parte dos diretórios regionais do PT pelo país, o do Pará era infectado de forma mais especial pelo vírus do esquerdismo. A ética pela ética da pequena burguesia tratante (tão espancada por Lênin), além de quadros caricatos como o afetado então deputado federal da CST (Corrente Socialista dos Trabalhadores), transformaram o militar no PT um sonho com pouco respaldo material. O próprio Edmílson Rodrigues que, apesar da ostentação da personalidade de diálogo, sempre cercou-se de radicalóides, por vezes, cai nesta vala comum do conceito leninista...enfim...um dos problemas desta atitude é seu pouquíssimo compromisso com um projeto de poder, já que isso poderia ser visto como um ato degenerado, portanto poucos adentraram seriamente à estrutura burguesa de poder com o vigor necessário para conhecê-la e administrá-la com consequências positivas para o cotidiano da população, contribuindo para o acúmulo de forças para um processo revolucionário. Tá aí um dos problemas centrais do governo Ana Júlia...a turma entrou já pensando em quando sairia, ou quem seriam os escolhidos para eleger com a base material conseguida a partir administração estadual. Os mais espertos e menos compromissados começaram o mandato já pensando nas eleições proporcionais de 2010... o resto é história...o modo PT de governar, infelizmente, não enseja boas lembranças para a população do estado



2- Existe um movimento cada vez maior dentro das forças de esquerda (todas elas), de engabinetamento, ou seja, transformar em prioridades as questões institucionais, fazendo com que os movimentos sociais existam em função das conquistas e possíveis avanços nesta área. Em parte estão mais do que corretos, pois não há problema em pavimentar um caminho conjunto entre estado e vontade popular direta, mas estamos muitos tons acima do que poderia ser considerado um afinamento ideal. Isso tem consequência na formação das novas direções partidárias e nos quadros que são atraídos por este campo de gravidade, fazendo com que quadros saudáveis procurem o discurso mais fácil do esquerdismo, ou mesmo, que desistam de militar. A resultante final é que quadros formados na luta política cotidiana são cada vez menos importantes que aqueles com votos, não importando a origem destes ou mesmo a ideologia do propritário da base eleitoral. Esse movimento torto acaba por diminuir a capacidade de agregar genuínos quadros e líderes, diminuido a possibilidade de renovação de lideranças respeitadas pelo povo, confundidos com sua luta e com os seus. Há uma verdadeira pateurização do que significa ser um líder de esquerda e este fator, junto com a descrença construída junto à população por conta do processo hipócrita mantido pela mídia para derrubar os alicerces do Governo Lula e mais recentemente para jogar lama na Dilma, nas pré-eleições municipais. Sem dúvida isso não ajuda...

Enfim, conheço muitas pessoas com falhas de caráter que tentarão transformar este artigo numa forma de dizer que estou atacando a esquerda...bom, a estes animais deixo minha indiferença...aos demais, esta é uma tentaiva de explicar o que muitos não conseguiram entender: como que a esquerda, com PT no governo federal e estadual conseguiram perder as eleições para um PSDB enfrentando grandes dificuldades, financeiras e políticas...que esse seja um texto para contribuir no debate crítico e autocrítico que Lênin tanto insistia como forma de organização revolucionária.

Abaixo, para os curiosos, as estruturas de poder do PT no Pará, não estão listados os órgãos federais nem sindicatos, mas prometo acrescentar em pouco tempo:

DEPUTADOS FEDERAIS (2010 A 2014)
    -Beto Faro (PT)
    - Miriquinho Batista (PT)
    - Cláudio Puty (PT)
    - Zé Geraldo (PT)
   DEPUTADOS ESTADUAIS (2010 A 2014)
  
- Chico da Pesca (PT)
- Bordalo (PT)
- Valdir Ganzer (PT)
- Edilson Moura (PT)
- Bernadete (PT)
- Airton Faleiro (PT)
- Milton Simmer (PT)
- Zé Maria (PT)

   PREFEITURAS DO PT (2012 a 2016)

Na região Bragantina o Partido elegeu: padre Nelson Magalhães, em Bragança e Maria Romana na cidade de Augusto Correa.

Municípios da estrada

Nos municípios de estrada, o PT elegeu Salvador Chamom, em Ipixuna do Pará; Badel, em Mãe do Rio; e Nilton Albuquerque, em Nova Esperança do Piriá.

Regiões Guajarina e Tocantina

Nas regiões Guajarina e Tocantina, o PT elegeu Saci, em Baião; Iracio , em Cametá; Lucio Bessa, em Bujaru; e Nelsão, em São João da Ponta;

Região Sul do Pará

Na região sul, o PT elegeu Deusmir, em Água Azul do Norte e Valter Peixoto, em Conceição do Araguaia.

Municípios da Transamazônica

Nos municípios da transamazônica o Partido elegeu Gaúcho da Entre Rios, em Medicilândia.

Sudeste do Pará

No sudeste paraense, o Partido elegeu o atual prefeito Dr. Sidney, em Bom Jesus do Tocantins; Dino, em Jacundá e Benjamim Tasca, em Itupiranga;

Baixo Amazonas

Na região do Baixo Amazonas o Partido elegeu Botelho, em Almeirim, Dilma Serrão; em Belterra; Raulien Queiroz, em Jacareacanga; e Dr. Sergio, em Monte Alegre.

Região das Ilhas

Na região das ilhas, o PT elegeu Léo Arruda, em Curralinho; Nogueira, em Gurupá, Marcelo Pamplona, em Santa Cruz do Arari; Getúlio Brabo, em São Sebastião da Boa Vista; e João Luiz, na cidade de Soure

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

RESENHA DO FILME O NOME DA ROSA

O NOME DA ROSA (livro de Umberto Eco)

A primeira metade do filme ambienta a trama, contextualizando a base teológica dos monges e
freis, e suas respectivas consequências nos discursos e na forma de encarar a vida e de produção argumentativa. Esta passagem fica clara quando da discussão entre o monge cego e Willian de
Bakersville, sobre a natureza divina ou demoníaca do riso.
Além disso, deixa claro o pensamento médio dos monges escribas sobre os escritos clássicos, no caso filosóficos, e sua repugnância sobre os mesmos, pois estes nada trariam de bom, do ponto de vista do espírito, e, portanto, considerados inúteis e perigosos. Por conta disso, o centro do mistério está na biblioteca, com seus livros, no caso um atribuído a Venâncio, que é embebido em arsênico, causando a morte a leitores desavisados, caso de três dos monges.
Fica clara também a sombra da perseguição inquisitória com fundamentos tão convenientes,
quanto desprovidos de objetividade, em favor da ojeriza às ideias contrárias ou diferentes do catolicismo. Em nome dos dogmas católicos,este mosteiro, assim como alguns outros, são verdadeiros depósitos destes livros, contribuindo para o obscurantismo medievo, num esquema de retroalimentação da “inteligentsia” católica, em seu auge neste momento histórico, ainda sem a contraposição do ideário protestante. Existe uma clara contraposição desta teologia cega à racionalidade, quando o inquisidor e o Frei Franciscano dão respostas diferentes ao problema dos assassinatos de monges.
O filme é uma excelente fotografia da rasa discussão filosófica para que declinou o ocidente pós
fim do Império Romano, com a subsequente ampliação de poderes seculares do catolicismo,
Com a oposição de valores como bem e mal, certo e errado, virtudes e defeitos, verdade e mentira,
enfim...sob a manta da hipocrisia e frenesi coletivo causado pelo medo da fogueira e das torturas, o
raciocínio cede lugar à afetação despropositada, para o deleite dos que anseiam por escutar aquilo que
esperam.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

DIÁRIO DE UM CONCURSEIRO II- A MISSÃO (1)

Hoje li um livro fundamental para quem quer alcançar o objetivo de passar em um concurso público ou qualquer outra meta na vida que exija concentração e  atividades cerebrais. O nome do livro é: "TURBINE SEU CÉREBRO - as novas descobertas da neurociência para você alcançar o sucesso" de Nanci Azevedo Cavaco. Apesar de haver alguns elementos de auto-ajuda, estes não são piegas e o central no livro são os aspectos práticos e científicos para desenvolver mais e melhor seu sistema cognitivo.
Nele entendi e aprendi uma série de coisas a partir das quais organizarei meu plano de estudo para esta nova caminhada, cuja finalidade é passar na prova pública para conquistar o cargo de técnico administrativo do Tribunal Regional do Trabalho da 8º região, cargo almejado por muitos.
Diferentemente do caminho que trilhei para o INSS, que não foi dos piores, neste iniciarei fazendo um planejamento minucioso dos passos que darei até o dia da prova. São muitas as coisas que podem ajudar a organizar um estudo de forma mais eficaz, ao mesmo tempo ganhando tempo para estar junto da família, amigos e, é claro, ainda estudar para as provas do meu curso de Filosofia na Universidade Federal do Pará, coisa das mais complicadas...na próxima segunda já tem prova do professor Snake...Teoria do Conhecimento II (uma pequena dissertação sobre a Crítica da Razão Pura, de Kant)
Vou começar enumerando os pontos que achei mais interessantes no livro e capazes de ajudar a fazer do estudo uma tarefa mais agradével e com um aproveitamento muito maior. Muitos poderão dizer: mas você vai compartilhar com pretensos concorrentes ideias que talvez os ajudem a ter um resultado melhor que o seu? Uma das coisas que aprendi com este livro e com a vida é que mesmo que você não seja o melhor, você deve procurar fazer o melhor e ao falar sobre este tema estou ajudando-me a fixá-lo e ao mesmo tempo fazendo um bem que pode ser um diferencial aos que tiverem a paciência de ler o artigo. Isso me parece bom. E, além disso, que me desculpem os demais, mas serei o primeiro colocado.

continua...

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

sobre a verdade

falemos um pouco sobre a verdade....
o que significa?
para mim, a idealização da verdade completa seria uma visão tridimiensional em tempo real de um determinado acontecimento com transparências sonoras`e sensorialmente perceptíveis com as motivações, confusões, vontades e angústias e todos os demais elementos que fazem parte das ações humanas, além das formas e interferências das matérias e movimentos orgânicos naturais, e, para os que acreditam, sobrenaturais...
enfim...para qualquer pessoa que não possua os atributos que alguns dizem ter Deus, isso é impossível...portanto, o que realmente chamamos de verdade?
em primeiro lugar, precisamos entender o que importa ser verdade...
um olhar sobre a vida cotidiana, os cães supervisionando odores em postes, ou crianças maquinando brincadeiras ou frustrando-se pela ausência delas, pássaros fazendo ninhos enquanto lagartos observam esperando o momento do assassinato dos ovos. A quem interessa isso, além de observadores que dirão o quão bela, complexa e caótica é a realidade, pessoas obviamente com poucos afazeres....?!
o que chamamos de verdade, ou de sua antagonista, a mentira, é a disputa por versões, que invariavelmente fazem parte de algum interesse, aberto, semi aberto ou ocluso, ou mesmo excuso, de alguém ou alguns...os historiadores costumam tentar retratá-la, alguns, mais recentemente acham interessante a reconstituição de práticas e formas de ação cotidianas vãs, como os gostos de determinada época, ou a forma como as pessoas percebiam as pastas de dente. Ainda bem que existem imbecis, do contrário estas tarefas, que em algum momento de nossa caminhada inorgânica evolutiva pode ter alguma utilidade, não teriam seus produtores.
Mas o que realmente atrai a atenção de todos são os jogos de poder, em seus mais diversos âmbitos, e é neles onde as maiores injustiças são feitas e transformadas em bondades e o contrário não é mentira, é verdade, que por vezes é uma grande mentira...enfim...esta grande hipocrisia está baseada, em quase todos os momentos, em conveniências e armadilhas, falsetes que armamos para fazer nossas consciências passarem sem nada perceber...as verdadeiras verdades, em geral são pouco belas, não adulam o erro, a ganância...não adulam nada, nem a ninguém...por poucas vezes ela de fato aparece, em geral quando não serve para absolutamente nada, deixando um aviso aos insanos que tentam entendê-la: construam sua verdade à força, pois apesar de dizer que não, esta é a regra mestra de nossa sociedade...isso parece o texto de alguém desgostoso com a vida, mas não é...se não dá pra jogar o jogo do jeito certo, há sabores e entretenimento suficiente do outro...e torçamos para aquilo que nos espera além daqui, seja lá o que for, não leve isso em conta para sermos ou vivermos sei lá o que...enfim...assim inicio meu ano...vamos jogar...