quarta-feira, 16 de maio de 2012

SOBRE O GOLPE DO REMO


Estou a quase 5 anos morando em território paraense e, como qualquer pessoa que more em Belém e  goste de viver em sociedade, tomei parte entre os times que apaixonam esta cidade e estado, como em poucos lugares do Brasil. Fui a jogos do Remo, da Tuna e do Paysandú, tive contato com o cotidiano dos debates , lugares comuns, quesitos existentes em todo o lugar que vive o futebol como parte de primeira linha do imaginário popular. Fiz isso pois já tenho um time de coração, que é o Flamengo e não tinha muita vontade de torcer para outro, apesar de simpatizar com o Santos. Acabei por decidir adentrar a torcida do Paysandú.
Mas, escrevo este texto não como bicolor, ou rubro-negro, ou mesmo alvinegro da baixada santista, mas como admirador da instituição FUTEBOL PROFISSIONAL, que é indissociável da condição de brasileiro. Faço isso depois de acompanhar um dos maiores e tristes golpes que esta instituição poderia receber com a desistência do Cametá em participar da Série D do campeonato brasileiro. Este time derrotou do Clube do Remo após os dois jogos da final do campeonato paraense de futebol, no Mangueirão, na frente de 60.000 torcedores (se somados os públicos das duas partidas da final). Nenhum comentarista de renome, nem mesmo entre os remistas que conheço, reclamou do resultado final. Houve quem chorasse, berrasse, esperneasse, coisas que os torcedores do Remo já acostumaram-se a fazer, mas não existiu crítica ao fato concreto em questão: o Clube do Remo perdeu as finais do Parazão 2012 para o Cametá, mais conhecido como Mapará Remoso.
Mas, para os dirigentes, beneméritos, os anciãos, enfim, o trem da alegria (com raríssimas exceções) que dirige o clube, o que vale é sua vontade, sua vaidade, sua fanfarronice. O resultado, sua péssima administração, o desrespeito com que tratam os profissionais que ali trabalham, são elementos acessórios da realidade, afinal, por que levá-los em conta?
Por que levar em conta que a anos o clube privilegia a contratação de jogadores de qualidade duvidosa e caros, que não são absorvidos pelo cenário principal do futebol do sul e sudeste. E por que levar em conta que até hoje o Remo não teve nenhuma ação relevante de mudança administrativa, de novas idéias, captação de recursos por fontes diferenciadas. Por que levar em conta que só alguns poucos elegem a diretoria do Remo, e, entre os pouquíssimos eleitos, elege-se, indiretamente, o cabeça, ou Cabeça. Por que levar em conta?
Por que levar em conta que o Remo trata as divisões de base do futebol profissional de forma mais que amadora, beirando a irresponsabilidade. É ali onde deveriam estar concentrados 50%, dos recursos, pois é donde sairão novos talentos, que custam menos e que podem trazer lucros maiores em perspectiva. Mas isso dá trabalho, não traz resultados imediatos e não atrai tanto as lentes da imprensa.
O negócio é RE-PÁ, Mangueirão lotado e divisão da grana dos ingressos.
A torcida, apaixonada, não quer saber muito quem é o desgraçado que está se dando bem na administração do clube. Não quer saber dos jogos sujos e das auto sabotagens que os próprios diretores fazem uns com os outros, nem quanto cada um ganha com a venda e compra de uma série de pernas de pau, que, em pouco tempo, estarão processando o Clube, provavelmente com razão. Não quer saber se cartola sobe nas costas dos outros para dizer à imprensa esportiva paraense quem teve a genial idéia de alguma contratação desastrosa, aliás, como gostam e temem, e bajulam e cobram bajulação da imprensa, um verdadeiro campo de trabalho para psicólogos. Enfim, um circo, verdadeiro show do Tom (sem querer ofender os profissionais que trabalham nestes lugares).
Esta turma deve ter enlouquecido a mente do presidente do Cametá, oferecido mundos e fundos para que este retirasse o Campeão Paraense da Série D do Campeonato Brasileiro. E logo num ano em que a CBF anunciou que todos os custos de deslocamento e estadia serão pagos por ela, diminuindo muito o custo mensal que o clube teria. Não há razão lógica para que o Cametá tenha tomado esta decisão.
Parece que não sou só eu que penso assim, a população da cidade, revoltada, promoveu um verdadeiro protesto, ameaçando dirigentes do clube tocantino, criando uma situação muito difícil para os envolvidos. Não dá pra esperar tranqüilidade desta turma, se era isso o que os geniais dirigentes azulinos pensavam. E, se a administração de Klautau derrubou o escudo durante madrugada, a atual o fez no escuro de algum gabinete, ou pelas ondas de um celular. O resultado é o mesmo.
Desta vez o golpe, se conseguirem dar, trará o gosto amargo do erro, do conluio, das sombras e da vergonha. Não haverá derrota completa dos derrotados, e nem vitória dos vitoriosos, todos perderão e mancha-se a história dos dois clubes para sempre.

domingo, 29 de abril de 2012

SOBRE AS ELEIÇÕES DO DCE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

Desde o fim da semana santa, travou-se uma importante e significativa batalha política na disputa pela direção do Diretório Central dos Estudantes na Universidade Federal do Pará, a segunda maior instituição federal de ensino público do país. Num momento em que esta passa por uma série de históricas transformações infra estruturais, da consolidação do processo de interiorização e aprofundamento da democracia, o grupo que geria a dez anos os rumos do movimento estudantil perdeu as eleições desta última semana.
O PSOL, principalmente, perdeu o comando da entidade através da qual destilou sectarismo e intolerância política, exacerbado esquerdismo, principalmente nos últimos quatro anos (mais à frente explico a diferença que havia no período anterior a 2008). Uma importante derrota, levando em conta que era o maior DCE que dirigiam, em todo o Brasil.
Durante meus tempos de movimento estudantil no Rio de Janeiro, lembro da UFPA como sinônimo de CST (Corrente Socialista dos Trabalhadores), então tendência do PT. Este era o principal espaço formador de quadros deste partido portanto, esta não é qualquer derrota para eles, foram feridos gravemente. Abro um parênteses para falar da CST:
A forma como cercaram Pedro Fonteles no ICB, covardemente, diz muito sobre o que são hoje, podemos somar a invasão que promoveram à sede do PSTU em Niterói, espancando as pessoas que ali se encontravam. Não possuem um único parlamentar e sua principal liderança no estado, na primeira oportunidade, traiu seus eleitores e mudou-se para o Rio de Janeiro, depois de uma epifania sobre a revolução ética no Brasil, pós CPI do Mensalão. Uma tendência, como diz o PSTU, irresponsável. Há uma ou duas na UFPA que não combinam nem um pouco com isso. Torço para que recuperem o tempo perdido e utilizem sua militância para algo construtivo social e pessoalmente. Falo isso sinceramente.
Do PSTU, apesar de fazer parte do grupo que perdeu a gestão do DCE, não posso falar a mesma coisa. Eles não precisam tanto da UFPA, possuem bastante consistência orgânica e, de fato, a ANEL os têm ajudado a recrutar quadros para suas fileiras, e conseguem mantê-los ocupados com isso. Não fará tanta diferença para eles, são menos dependentes desta dinâmica. No fim, acho que ficarão mais a vontade como oposição e poderão, inclusive, substanciar sua militância com mais uns dois ou três quadros do PSOL, depois da guerra, quero dizer, balanço. Não seria nenhuma novidade.
Venceram a eleição os integrantes da CHAPA 2- UFPA QUE QUEREMOS, pois conquistaram, pela primeira vez em uma década inteira, uma das coordenações gerais... também o fizeram os militantes da CHAPA 1- a LIGA ACADÊMICA INDEPENDENTE, que conseguiu ultrapassar os 10% de cláusula de desempenho, arrebatando quadro vagas na próxima direção. E, a maior vitória foram os 55% totais, através dos quais as duas chapas juntas, caso queiram, têm o poder de marcar reuniões, ou mesmo acelerar o ritmo das necessárias mudanças pelas quais o DCE precisa passar.
Agora, mais do que falar sobre quem perdeu, é importante antevermos os dilemas e decisões do que vem pela frente, além da necessidade de ajustamento na gestão em torno de um conjunto de ideias e metas que unifiquem o máximo de forças e pessoas políticas, que farão parte da nova diretoria do DCE. Urge a resolução desta questão para que a agenda do movimento estudantil não fique à mercê de brigas e picuinhas de perdedores. É preciso andar pra frente, quem quiser caminhar junto que o faça, os que não, enfim, assistam ao espetáculo.
Penso que existem três grandes desafios iniciais que o DCE da UFPA precisa resolver e que dependem, exclusivamente, de vontade política:
1- É fundamental regularizar a situação jurídica e institucional da entidade. É tão absurdo este não possuir ao menos o CNPJ, que não preciso alongar-me neste assunto.
2- É preciso estabelecer uma agenda de reapresentação do DCE para dentro da Universidade (Institutos e Campi) e para a sociedade paraense, conversar com prefeitos, deputados, senadores, presidentes de entidades dos movimentos sociais (de todos os partidos), articular junto à sociedade civil organizada; participar das conferências e agendas públicas, ou seja, voltar a fazer parte, para além das manifestações partidárias, da vida do restante da sociedade.
3- Estabelecer regras claras de funcionamento da diretoria, com penalidades para os que faltarem reuniões, antecedência na convocação destas e respeito às decisões coletivamente deliberadas.
Ademais, existem projetos em curso, como a captação dos recursos para os JOGOS INTERNOS DA UFPA e para o projeto  ESPORTE NA UNIVERSIDADE, cerca de R$2.500.000,00, que podem credenciar a UFPA como a maior investidora no esporte, entre todas as demais no Brasil, incluídas aí as universidades particulares. Às vésperas da Copa do Mundo e das Olimpíadas, podemos ser exemplo neste importante segmento, para todo o restante do país. E tantos outros projetos em curso, da universidade ou não, para os quais esta entidade durante tanto tempo negligenciou. É necessário saber quais e onde estão estas iniciativas, e participar delas.
Mas, para tudo isso dar certo, é preciso que, o campo que ganhou as eleições tenha calma, não caia em provocações, tenha em mente que, mais importante que identificar os pontos de diferença, neste momento, precisamos encontrar os de concordância, e passar a segunda, e passar a terceira...enfim...Quem quiser acompanhar vai ter de, primeiro, aprender a ser minoria, engolir o orgulho e a arrogância. Espero que o façam, pois, desta forma, avançaremos mais rápido. Aliás, pra quem quiser, tenho várias fichas de filiação do PCdoB e, tenho certeza, que a turma do PT e PDT também. Pros insatisfeitos, não existirá hora melhor.
Parabéns aos aos lutadores da maior batalha que já presenciei dentro de uma universidade, foi minha última, mas a melhor...






sexta-feira, 23 de março de 2012

sobre o PSTU

o que penso sobre o PSTU:

vocês tem o sistema cognitivo engarrafado, ou são mal intencionados...ou mais provavelmente as duas coisas juntas...por vocês o poder ficaria eternamente nas mãos da direita já que não se mobilizam para sua conquista...na prática jogam para que esta se sobressaia...felizmente suas táticas divisionistas e fratricidas já foram, inúmeras vezes, desmascaradas pela história. Não possuem projeto de poder pois já o possui...são apenas os rebeldes sem causa, em geral filhos e filhas da própria burguesia, que não compreendem que a opção de classes requer mais que um comprometimento com a fraseologia trotskista, esquerdista, incapaz de compreender que nossa vontade submete-se à realidade, e que esta última deve ser levada em conta para a tomada de decisões de qualquer natureza...não estamos esperando o momento em que a grande greve acontecerá para, iluminadamente, comandá-la rumo ao arco íris do socialismo (aliás, sempre bom lembrar que não existe uma única experiência de levante ou revolução produzida por grupos desta natureza, digo, trotskista)...estamos construindo as condições para uma mudança qualitativa no acúmulo de forças para o processo revolucionário real, que não será igual a seus devaneios anacrônicos, e sim reflexo da labuta diária pela disputa do poder real em nossa trincheira de luta, nossa pátria...o Brasil...

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

carta de Lélio Costa sobre os dois anos da morte de Neuton Miranda


Neuton Miranda: um revolucionário!

Hoje faz 02 anos do desaparecimento físico de um dos mais ilustres revolucionários da esquerda paraense, Neuton Miranda. Tive a honra de acompanhar seus últimos 04 anos de vida e ação.
Sua chegada à Superintendência do Patrimônio da União no Pará – SPU/PA foi marcada de expectativa e esperança, pois lidar com um órgão tão conservador e estruturalmente formatado que atendeu, por mais 150 anos, às elites que sempre dominaram os sistemas de consumo e produção do pais não era tarefa simples.
Teve a coragem e ousadia dos “grandes” em romper com a lógica perversa e arcaica, ao passo que se concentrou em colocar o dedo em feridas profundas da sociedade como dar garantia da segurança da posse às famílias que realmente necessitam, reconhecer o uso e ocupação das comunidades tradicionais extrativistas das florestas, propor outro formato para o uso e ocupação das orlas fluviais da Amazônia, assim,fazer cumprir a função social da propriedade pública.
O camarada inconformado com a situação das populações ribeirinhas nos colocou a pensar na implantação do Projeto Nossa Várzea – Cidadania e Sustentabilidade na Amazônia Brasileira, que nasceu de longo debate com as lideranças regionais. O Nossa Várzea já beneficiou/libertou mais de 33.000 famílias ocupantes das margens de nossos cursos d”águas. Ao longo de mais de 04 anos constatamos histórias dignas de filmes e documentários ao depararmos com famílias que viviam em situações análogas ao trabalho escravo, e a partir do NV foi quebrada os laços nocivos com algumas famílias “tradicionais” e hoje vivem livremente.
Lembro-me perfeitamente que foi no carnaval de 2009 que foi concebido o Projeto de Regularização Fundiária Urbana de Belém, a partir de conversas com o Neuton em sua casa em mosqueiro. Naquele dia nosso camarada tivera uma noite difícil vinha de uma crise alérgica e estava medicado.
O resultado desse projeto foi beneficiar mais de 12.000 famílias ocupantes das áreas urbanas da União em nossa capital, por meio das Concessões de Uso Especial para fins de Moradia – CUEM individual e coletiva, ação ainda em curso atualmente
Em breve, lançaremos o 6º Manual do Projeto Orla: Readequação metodológica para o uso e ocupação das orlas fluviais e estuarinas da Amazônia, que foi gestado por esse visionário. Esse projeto impactará a maioria dos municípios em nossa região.
Interessante registrar que mesmo em um corpo franzino, ao mesmo tempo postura delicada, e um olhar convicto deixava claro que era preciso aprofundar mais essa revolução silenciosa.
Para com o meio ambiente deixou sua marca, foi o braço direito para que a Regularização Fundiária das Unidades de Conservação, principalmente das Reservas Extrativistas Marinhas se tornasse realidade, e hoje estamos a consolidar essa política, assentados no georeferenciamento em base geodésica dos perímetros dessas UC’s que beneficiará mais de 30.000 famílias.
Nosso camarada abriu o caminho ao auxiliar na destinação de muitas áreas públicas para provisão habitacional de interesse social, dentro do programa Minha Casa, Minha Vida, em municípios como, Santarém, Marabá e Belém.
Nos últimos meses que antecederam sua morte, conversávamos muito sobre o problema das glebas patrimoniais urbanas dos municípios do Pará que estavam em áreas da União, como era o caso do Arquipélago do Marajó e Belterra/PA. Atualmente estamos em processo de demarcação, em base geodésica via o Programa Terra Legal, dos perímetros urbanos no Marajó.
E naquele dia 20.02.2010, Neuton estava em Belterra/PA para formalizar a entrega para a Prefeitura a légua patrimonial urbana, a cerimônia foi belíssima, Ele estava consciente do que fora fazer e estava muito feliz! Ouvi atentamente seus derradeiros conselhos e suas últimas palavras, vê-lo e senti-lo partir foi algo que ficará para sempre em nossa memória e militância.
Não tenho dúvidas que convivi com uma das pessoas mais generosas, meiga e gentil que conheci, me senti adotado, cercado por carinho paternal. Sinto-me privilegiado por ter viajado tantas vezes e ouvi-lo muito durante horas e que tem feito muita diferença. O seu legado é singular para todos nós!
Neuton Miranda viverá para sempre na história de marabá, Pará e do Brasil! Viva esse revolucionário que nunca morrerá em nossos corações!

Belém, 20 de fevereiro de 2012.

Lélio Costa da Silva

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

FIM DA PRIMEIRA BATALHA- Diário de um Concurseiro VI


desde a última publicação, me tomou bastante tempo para responder a pessoas bem intencionadas e a imbecis...enfim...sempre há os imbecis...quando mal intencionados e/ou invejosos dá mais trabalho ainda...
mas sempre vale a pena fazer o bem, mesmo contra o mau...então, seus malditos desgraçados, arrumem algo original pra fazer e não me aborreçam...
Enfim, sobre a prova...fui melhor que o esperado...na verdade faz tempo que não falo sobre isso pois, as constantes postagens, longe de ajudar, acabaram atrapalhando...
acertei 50 questões de um total de 60...entre os que conheço que fizeram a prova, até agora (cerca de  10 pessoas), a maioria acertou de 41 pra baixo...achei a prova relativamente simples, mas mal feita, tentando acertar o caboclo na pegadinha...esta é, na minha opinião, uma forma ultrapassada de testar o conhecimento...
mas acho que esta pontuação não será suficiente...e minha média em previdenciário foi baixa para o caso de muitos empates, que é exatamente o que acho que vai acontecer...enfim, de qualquer forma foi um bom começo, e, se ficar entre os 34 aprovados, será excelente....no caso de Tucuruí, existem vagas imediatas para os primeiros...
sempre coloquei a meta pessoal de acertar, pelo menos 45, visto que este foi meu primeiro concurso...não
posso negar que fiquei satisfeito com o resultado e animado para tentar outros...
já estou matriculado no concurso para a GUARDA MUNICIPAL DE BELÉM, que paga cerca de 3.500,00 por mês, em turnos de 12 por 36 horas...um excelente emprego para estudar para outros concursos...decidi que vou acabar o curso de Direito e fazer prova para Procurador ou Defensor...gostei desta história...
aos poucos que acompanharam essa série, obrigado...




terça-feira, 31 de janeiro de 2012

METODOLOGIA PRA VENCER- Diário de um Concurseiro VI

     Bom...disse que falaria da tática, mas acabei concentrando-me a tal ponto nos estudos que, mesmo escrever me parecia fugir do objetivo...mas hoje tive de parar...
Enfim... resolvi, a cerca de umas duas semanas, que concentraria minhas forças no estudo do DIREITO PREVIDENCIÁRIO: de 60 questões ao todo, 40 serão sobre as questões relativas à Previdência e sua Legislação.
     Além das gravações e anotações das aulas que tenho no Exemplo com o Valcássio, estou no trigésimo terceiro vídeo do Hugo Góes  e me Matriculei no mini-curso do Vladimir, também no Exemplo, à noite. Além disso assisti à péssima aula completa, em cinco partes, do Farag. muito ruim, mesmo...péssimo material produzido pelo STF.
    Hoje, na primeira aula do Mini-Curso, sabia tudo o que estava sendo ensinado, e já conseguia formular perguntas mais complexas. Este é um grande avanço pois, alguns tópicos, já consigo entender em conjunto, tornando-se mais difícil esquecer.
     Mas esta é a parte que deveria estar dando certo mesmo, pois estou dedicando quase 90% do tempo disponível. O problema está nas outras matérias. Apesar de estar muito confiante para a prova de Informática, ainda preciso relembrar algumas coisas no português e praticamente não dei atenção para Constitucional e Administrativo, além das aulas pela tarde. Da mesma forma RJU e Raciocínio lógico... para este último levo uma certa vantagem pois sou graduando em Filosofia e, em tese, não poderia errar questão desta natureza.
     Mas penso da seguinte forma: se são 40 de Previdência e  quer dizer que todas as outras 06 matérias terão, ao todo, 20 questões. Não consigo imaginar esta prova com menos de 5 questões de português e 4 de informática. Levemos em conta que Raciocínio Lógico tenha 1. Sobrariam 10 questões para RJU, Administrativo e Constitucional, em média, 3 questões pra cada.
     A prova de conhecimentos específicos terá, portanto, mais condições de explorar o conjunto da matéria apresentada no edital como conteúdo de estudo. Essa, quem quer passar, deve pensar em gabaritar, até porque é o primeiro critério de desempate. A de Português, tendo cinco questões, três devem ser de compreensão do texto, uma de Regência ou Concordância e outra de Ortografia. A de Informática não tem pra onde fugir, é um conhecimento bastante limitado e habitualmente manipulado, por quem lida com computadores. Por fim, acho que as questões de RJU, Administrativo e Constitucional devem estar entre os temas batidos, como são poucas.
     No fim desta semana, quando terminar de verdade e com mérito o Previdenciário, vou partir pra cima das demais matérias..

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Sorte é o .... (DIÁRIO DE UM CONCURSEIRO V)

Ontem saiu uma lista não oficial da relação de candidatos/vagas para o Concurso do INSS, para o qual venho estudando ininterruptamente desde o dia 02 deste corrente mês... todas as minhas expectativas e especulações sobre esta relação em Tucuruí deram n'água, ou seja, equivoquei-me em quase tudo... enfim, passada a possibilidade de sorte, fiquemos com o principal, que é o incansável estudo nestas próximas três semanas que antecederão o maldito certame.
Na verdade, de forma randômica, quase todas as agências da previdência social do Pará e Maranhão tem esta relação muito parecida, com a exceção de Capanema e Castanhal, que passou a casa dos 1000 (mil) postulantes/vaga.
Enfim, continuemos a caminhada...

PS: ainda estou devendo a minha metodologia de estudo...nãopor acaso, esta ainda estava nebulosa e só cristalizou-se ontem... portanto, até amanhã, publicarei minha infalível tática rumo ao primeiro lugar entre os mais de 3.000 inscritos para Tucuruí...

tenho dito...

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

impressões frickianas sobre o Natal

Amigos e amigas leitores (as)... a pedidos, coloco no BLOG o texto que espalhei pelo facebook com minha mensagem no último natal...



"Caros Amigos e Amigos, a mensagem de natal este ano é de um cara de 32 que, finalmente, aprendeu o que significa natal...e com isso o que significam as coisa boas que a humanidade simboliza através de Jesus, Buda, Oxalá, enfim, o espírito do bem, a energia positiva, aquilo que constrói, arquiteto do universo, enfim, o bem em essência......ou seja, as coisas que valorizamos são o amor, a paz, a alegria, a caridade e fraternidade, os bons sentimentos, aqueles que inspiram ações construtivas... isso não é por acaso... neste momento as pessoas estão mais propensas a fazer o bem e, sempre que o fazemos, subimos mais um degrau em nossa existência...cada vez que o produzimos nascemos novamente para fazer outros, mais fortes, com mais história, ou seja, mais ricos...as pessoas contam por seus atos ruins e bons, não adianta simplesmente passar, é preciso marcar...e a melhor forma de fazer o bem é a sua, ou seja, a que no seu raio de ação pode surtir mais efeito positivo e multiplicador... não importa se é dando dinheiro, ou sendo uma pessoa melhor para família uma melhor, ou mesmo perdoar pessoas ressentidas, ou criar algo que ajude outras a serem felizes, portanto, trilhar um caminho pelos outros, ou por tudo aquilo que podes fazer pelo mundo à sua volta...tudo que você precisar para continuar esta tarefa, o universo lhe dará...inclusive sua própria felicidade...uma relação absolutamente dialética... enfim, mais uma vez, quero dizer que este é um excelente período para redimensionarmos nossa existência em função de melhores parâmetros e, assim, ajudar a construir um mundo melhor... aos que tiveram paciência de ler um grande natal, enfim, aos demais um grande natal também, com menos entusiasmo, mas um grande natal... a todos os malditos animais que ainda chafurdam em sentimentos de ódio, e outras coisas do tipo, enfim, desejo apenas luz..

Alan Frick

AULA DE PORTUGUÊS (Diário de um Concurseiro IV)

hoje tivemos aula de português, com o professor Arnaldo... A aula foi a que menos conteúdo regular apresentou, mas foi a primeira, pelo menos desde o dia 02 de janeiro (quando comecei esta maratona), que discute uma das questões mais importantes de uma prova, ou mesmo, de tudo na vida....a intenção de quem escreveu o texto (autor) e de quem o reescreveu para efeitos de prova. Aí está a chave primeira de qualquer questão.
É verdade que ao nos depararmos com um amontoado de palavras antecedidas por um título, em geral, temos, logo no início da leitura, algum nível de juízo sobre o tema...ao ler o conjunto, podemos interferir na ideia do autor, ao naturalizar as nossas como as corretas, e, mesmo que sejam, precisamos ser generosos com este e dar-lhe crédito, pelo menos até entendermos seu ponto de vista e acertarmos a maldita armadilha.
Nas últimas provas que fiz, já neste período de realização de exercícios, mais de 50% das perguntas que errei, foram por leitura mau feita: incompleta, pretensiosa, arrogante, tendenciosa...enfim...a minha ideia, o meu pensamento sobre o tema acabava por colidir com a necessidade de entendê-lo... a pressa em emitir meu juízo de valor cegava-me para apreender o sentido, ou sentidos, daquilo que o autor pretendia.
Enfim, isso serve pra boa parte da vida...a humildade é uma dádiva, e não faz mal a ninguém...
Esta foi uma excelente aula...

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

A ESCOLHA DE TUCURUÍ (Diário de um Concurseiro III)



Ainda estou na ansiedade para saber a relação candidato/vaga do concurso do INSS para a cidade de Tucuruí, para onde estarei concorrendo.

Explico, a seguir, meu cálculo para escolher esta localidade:

O Pará, ao todo tem por volta de 76 vagas, distribuídas da seguinte forma:


PA

BELÉM

APS ABAETETUBA

3

0

3

PA

BELÉM

APS ALENQUER

1

0

1

PA

BELÉM

APS ALTAMIRA

2

0

2

PA

BELÉM

APS BREVES

2

0

2

PA

BELÉM

APS CAMETÁ

5

0

5

PA

BELÉM

APS CAPANEMA

6

1

7

PA

BELÉM

APS CASTANHAL

1

0

1

PA

BELÉM

APS GARRAFAO DO NORTE

2

0

2

APS CAPANEMA

PA

BELÉM

APS GOIANESIA DO PARA

3

0

3

APS TUCURUÍ

PA

BELÉM

APS ITAITUBA

3

0

3

PA

BELÉM

APS MARABÁ

9

1

10

PA

BELÉM

APS NOVO PROGRESSO

3

0

3

APS ITAITUBA

PA

BELÉM

APS OURILANDIA DO

NORTE

2

0

2

APS REDENÇÃO

PA

BELÉM

APS PARAGOMINAS

2

0

2

PA

BELÉM

APS PARAUAPEBAS

2

0

2

PA

BELÉM

APS PORTO DE MOZ

3

0

3

APS ALTAMIRA

PA

BELÉM

APS REDENÇÃO

4

0

4

PA

BELÉM

APS SÃO GERALDO DO

ARAGUAIA

3

0

3

APS MARABÁ

PA

BELÉM

APS SÃO SEBASTIAO DA

BOA VISTA

2

0

2

APS BELÉM-

NAZARÉ

PA

BELÉM

APS TUCURUÍ

8

0

8

PA

BELÉM

APS VISEU

3

0

3

APS BRAGANÇA

PA

BELÉM

APS XINGUARÁ

2

0

2

APS REDENÇÃO

As que estão em amarelo são as que tem três ou mais vagas, as que considero ter mais chances. Na verdade, as que tem menos de uma vaga, em sua maioria, são muito distantes de Belém, e por conta disso, menos atraentes para mim, que tenho família na capital. Isso não quer dizer que não podemos nos mudar, mas se for pra fazê-lo, que seja para um local que tenhamos uma relativa proximidade e cujo nível de desenvolvimento dos serviços (principalmente) seja ao menos regular.

Desta forma surgiu a ideia de fazer o concurso para Tucuruí...na verdade, anteriormente cheguei a pensar em fazer para Vizeu, pois a proximidade com Bragança, uma cidade bastante interessante, bonita e praiana... mas escutei muitas pessoas que disseram estar pensando em fazer pra lá e Bragança é uma cidade bastante desenvolvida, para a média das cidades daqui, e também próxima de Belém, portanto mais simples para que seus cidadãos se desloquem para a Capital com o objetivo de participar do concurso. No caso de Tucuruí, além de mais distante e mais caro chegar, existem mais vagas disponíveis.

Além disso, segui o seguinte raciocínio: existem basicamente três grupos de pessoas que vão fazer as provas:

1- aqueles que tem família e residência fixa em Ananindeua e Belém, e não querem ir pra muito longe... não competiria com eles pois são cerca de 7 horas de estrada pra Tucuruí, o que elimina a possibilidade de ir e voltar diariamente, e torna cara a ida e volta nos fins de semana, cerca de 700 reais, pelo menos. Este grupo tende a fazer as provas para Abaetetuba e Capanema, principalmente com 03 e 06 vagas, respectivamente (desta forma elimino boa parte das pessoas);

2- há aqueles que não se importam com distâncias, e, portanto, quanto mais longe, mais simples a relação, portanto não disputaria com eles. Para estas pessoas, Tucuruí não é tão distante para assustar todos os concorrentes de Belém, ou pelo menos causa incerteza. Por conta disso, tenho ouvido muitas pessoas dizerem que farão para Novo Progresso, Xinguara e São sebastião da Boa Vista, porto de Moz, Itaituba... estas pessoas levam a seguinte vantagem, é quase impossível que alguma pessoa destas localidades faça a prova pois o investimento de ir à Belém é altíssimo... mas eu não tenho condições de fazer para local tão distante, pelos aspectos que levantei anteriormente;

3- existem também aqueles que vem de fora e penso que não existe muita lógica na escolha destas pessoas já que, pra conhecer o estado a ponto de possuir estas informações, é preciso estar aqui já há algum tempo, portanto é uma relação tão randômica, que deve tornar-se proporcional, mas existe uma possibilidade de que este tipo de candidato escolha Marabá, preferencialmente, e talvez Tucuruí...estes são, virtualmente, meus principais concorrentes.


é claro que terei dificuldades, mas acho que acertei no local.

mais tarde apresento o planejamento...

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Rede Globo, bebidas, mentiras e estupros, não necessariamente nesta ordem

e só pra constar... na minha opinião a Rede Globo de Televisão é cúmplice de estupro...tô com muito sono pra tratar deste assunto hoje...aliás tinha prometido que não iria falar sobre assuntos que não fossem o concurso do INSS, mas a desfaçatez com que Pedro Bial simplesmente omitiu as razões pelas quais o tal modelo foi expulso, e sorriu para as câmeras, me fez pensar duas vezes...
Confesso que assisti a algumas edições do Big Brother, algumas cheguei a torcer...de fato é muito difícil esconder-se da mídia de massa nos dias de hoje, seja qual for o tipo...
É muito difícil ficar longe de porcarias como o tal forró pegado, o funk, o pagode babaca dos paulistas ou o tecnobrega paraense... na verdade é difícil não emitir juízos de valor sobre os dilemas que são criados a partir de vontades da alta burguesia carioca, que escreve, ano após ano, as vazias novelas das 8...
É bastante complicado contrapor-se a argumentos oportunistas, rasos e irresponsáveis, que os telejornais não cansam de nos apresentar como exercício pleno da imparcialidade profissional.
Mas desta vez a Rede Globo passou dos limites...que ela apresenta seres humanos como ratos de laboratório na corrida por um queijo gordo e delicioso ...afinal... todos sabemos, e, a grande maioria pouco se importa, já há bastante tempo...
mas desta vez ela exagerou...e penso que este exagero não vai ser de simples contorno, como tentou fazer um sofrível Pedro Bial, ao mascarar com a hipocrisia de seu sorriso, calando sobre um estupro acontecido debaixo dos narizes, quero dizer, câmeras, dele e do grande mentor Boninho...na quentura de seus estúdios, ao vivo pelo "pay per view"...tudo isso depois de festa em que estes são estimulados a encherem o pote de manguaça...
todos sabiam que o cara estava com a menina na cama...será que, diante das circunstâncias, não seria mais do que esperado que as pessoas (responsáveis pelo programa) acompanhassem as atitudes do dito cujo??...e por que razões foram os assinantes que avisaram a polícia...???
Enfim, e este programa vai continuar....da mesma forma...a menina sabe que foi estuprada??? alguém falou pra ela???... os movimentos feministas vão deixar que isso corra assim, sem nenhum tipo de manifestação???...O Ministério Público vai tratar desta questão como???? estão aí perguntas que eu gostaria de ver respondidas...enfim...tô achando que vai dar merda, e que, desta vez, o sorriso amarelo de Bial vai ser a capa de um livro decadente...

Primeiros passos de um concurseiro- analisar o terreno da luta (Diário de um Concurseiro II)

Enfim, inicio esta batalha com alguns prós e outros contras...
em primeiro lugar, antes do dia 02 de janeiro, eu sabia que o Direito Previdenciário tratava de assuntos da previdência, tinha um ou outro conhecimento específico, através de empiria ocasional e distante, ou mesmo através de questões cotidianas, que acabamos por incorporar ao nosso universo de conhecimento, e só...este é um grande contra...
o, apesar de ser bom em Português e me safar razoavelmente em informática, e raciocínio lógico, preciso rever uma série de assuntos sobre estes temas, por exemplo, sei bulhufas de LINUX e tenho um profundo medo do EXCEL...além disso, falar em orações coordenadas e coisa, e tal, enfim...odeio esta matéria...Constitucional, administrativo e RJU vão cair pouquíssimas questões (provavelmente, pelo menos espero). Mas as que caírem devem ser estas que já estão em domínio público, remédios constitucionais e CIA...
nesta não tem atualidades, o que pra mim é ruim...mas nesta não tem matemática, o que pra mim é excelente...enfim...
serão 60 questões, 40 delas sobre previdenciário, umas 6 a 7 de português, umas 3 a 4 de informática e o resto pra dividir pelas demais matérias... Portanto, quem gabaritar previdenciário e for muito bem em Português e Informática, tá com um pé lá dentro...Portanto, minha tática, naturalmente, deve ser gabaritar previdenciário e acertar muitas de Português e Informática. Portanto, dedicarei 90% de meu tempo para estas três, sendo 75% para Previdenciário...Estou na aula pela tarde (aulas teóricas) e pela noite (exercícios)... Tudo isso no Cursinho Exemplo, que fica na João Paulo II, aqui em Belém-PA...de fato, um excelente espaço para estudo e aquisição de ambiência para a realização da prova.
Bom, acabei de preparar um calendário com relação ao exame, fisicamente falando....amanhã
o pregarei na parede...talvez algumas frases de auto-ajuda (maldita auto ajuda...)...enfim, entrei numa ...amanhã também preparo e apresento o calendário, ah, e é claro...estou concorrendo a uma vaga em Tucuruí...
Quero também desde já agradecer ao apoio que minha esposa, Michelle Muniz está dando, sem o qual, talvez não tivesse o ânimo que adquiri para enfrentar esta batalha...

diário de um concurseiro (Diário de um Concurseiro I)

Caros amigos e amigas,

enfim...
como estou estudando em regime de concentração total para a prova de técnico da seguridade social do INSS, que acontece no dia 12 de fevereiro do corrente ano, decidi que uma das poucas coisas que não tirariam minha concentração seria a produção de um BLOG, em que
pudesse externar os dias, fatídicos por sinal, que antecedem o certame...
nunca participei de nenhum, concurso público, além da prova do Colégio Naval, quando fiquei reprovado por faltar à prova de geografia e história (pois passei na fase eliminatória de matemática) e, é claro, das provas em que passei para a Cândido Mendes como estudante de direito em 1997, ou mesmo no vestibular para história da UFF (Universidade Federal Fluminense) em 2001, ou ainda na prova de transferência da UFF para a UFPA, em 2008, para o meu atual curso de Filosofia.
mas, relacionado a provas para o exercício de atividade profissional, sou uma folha em branco. Tentarei contar o que está acontecendo no dia a dia do cursinho que estou frequentando, além de impressões sobre as pressões e conceitos envolvidos na vida daqueles que estão pondo à prova sua inteligência, perante a família e a sociedade, para adentrar ao mítico universo da estabilidade pública.
Enfim, este aqui será o espaço pra eu me divertir, sem fugir do tema a que me propus a desenvolver, que é minha aprovação. Aos que se aventurarem por estas linhas, sejam bem vindos...