terça-feira, 31 de janeiro de 2012

METODOLOGIA PRA VENCER- Diário de um Concurseiro VI

     Bom...disse que falaria da tática, mas acabei concentrando-me a tal ponto nos estudos que, mesmo escrever me parecia fugir do objetivo...mas hoje tive de parar...
Enfim... resolvi, a cerca de umas duas semanas, que concentraria minhas forças no estudo do DIREITO PREVIDENCIÁRIO: de 60 questões ao todo, 40 serão sobre as questões relativas à Previdência e sua Legislação.
     Além das gravações e anotações das aulas que tenho no Exemplo com o Valcássio, estou no trigésimo terceiro vídeo do Hugo Góes  e me Matriculei no mini-curso do Vladimir, também no Exemplo, à noite. Além disso assisti à péssima aula completa, em cinco partes, do Farag. muito ruim, mesmo...péssimo material produzido pelo STF.
    Hoje, na primeira aula do Mini-Curso, sabia tudo o que estava sendo ensinado, e já conseguia formular perguntas mais complexas. Este é um grande avanço pois, alguns tópicos, já consigo entender em conjunto, tornando-se mais difícil esquecer.
     Mas esta é a parte que deveria estar dando certo mesmo, pois estou dedicando quase 90% do tempo disponível. O problema está nas outras matérias. Apesar de estar muito confiante para a prova de Informática, ainda preciso relembrar algumas coisas no português e praticamente não dei atenção para Constitucional e Administrativo, além das aulas pela tarde. Da mesma forma RJU e Raciocínio lógico... para este último levo uma certa vantagem pois sou graduando em Filosofia e, em tese, não poderia errar questão desta natureza.
     Mas penso da seguinte forma: se são 40 de Previdência e  quer dizer que todas as outras 06 matérias terão, ao todo, 20 questões. Não consigo imaginar esta prova com menos de 5 questões de português e 4 de informática. Levemos em conta que Raciocínio Lógico tenha 1. Sobrariam 10 questões para RJU, Administrativo e Constitucional, em média, 3 questões pra cada.
     A prova de conhecimentos específicos terá, portanto, mais condições de explorar o conjunto da matéria apresentada no edital como conteúdo de estudo. Essa, quem quer passar, deve pensar em gabaritar, até porque é o primeiro critério de desempate. A de Português, tendo cinco questões, três devem ser de compreensão do texto, uma de Regência ou Concordância e outra de Ortografia. A de Informática não tem pra onde fugir, é um conhecimento bastante limitado e habitualmente manipulado, por quem lida com computadores. Por fim, acho que as questões de RJU, Administrativo e Constitucional devem estar entre os temas batidos, como são poucas.
     No fim desta semana, quando terminar de verdade e com mérito o Previdenciário, vou partir pra cima das demais matérias..

Nenhum comentário:

Postar um comentário